Covid-19 – porque devo fazer Fisioterapia?

Teve covid e ainda sente respiração ofegante após carregar um saco de compras ou ao vestir/despir? Sente fadiga dor nas pernas após subir um lance de escadas? Falta de ar ao falar andar ao mesmo tempo? Vai querer ler este artigo.

Após meses e meses em contexto de pandemia, já todos nós conhecemos a realidade da pneumonia causada pela Covid-19. Alguns, porque estiveram infetados, outros porque a viram desenrolar-se no seu meio familiar, no trabalho ou nos seus amigos.

Dentro da infeção há percursos diferentes, há os sintomáticos e os assintomáticos, há quem só tenha passado pelo internamento domiciliário, há quem tenha passado pelo internamento hospitalar, e, por sua vez, os doentes mais graves, que no contexto de agudização necessitaram de cuidados intensivos

Dos utentes que superaram a covid-19, muitos são os casos que se encontram agora com dificuldades acrescidas e a necessitar de respostas dos sistemas de saúde perante os desafios do pós-infeção. Na literatura, ainda não é conhecido se a covid deixará danos na função pulmonar permanentes, e caso isto aconteça, com que extensão. 

No grupo de utentes que necessitaram de cuidados intensivos, é mais prevalente a limitação da função respiratória e das trocas gasosas, tal como a fraqueza adquirida no doente crítico. No entanto, os desafios pós-covid não se limitam às pessoas que sofreram formas da doença mais severa, outros utentes apresentam queixas de descondicionamento ao esforçofalta de ar/fadigafraquezadepressão dificuldades cognitivas.

A covid-19 trouxe para o conhecimento geral uma “receita” já antiga e muito querida pelos profissionais de saúde e doentes respiratórios – A Reabilitação Respiratória

É um modelo de intervenção que pressupõe uma equipa multidisciplinar, pela complexidade e diferentes frentes que precisam de ser trabalhadas para que se consiga viver com a doença respiratória (aguda ou crónica) mantendo a melhor qualidade de vida possível. 

Focando-me agora no papel decisivo que o Fisioterapeuta assume na reabilitação respiratória, neste contexto, recolhemos a história do utente, dando palco às suas principais limitações de momento. No contexto da covid, as queixas passam tipicamente pela respiração ofegante após carregar um saco de compras carro-casa ou vestir/despirfadiga dor nas pernas após subir um lance de escadasfalta de ar ao falar andar ao mesmo tempo, dificuldade em apanhar e transportar objetossensação de pulso respiração acelerados com dificuldade em retomar ao nível basal, sensação de aperto ou “falta de mobilidade” torácica etc. Tudo manifestações físicas mas que causam grande compromisso da pessoa no seu contexto familiar e laboral, diminuindo a sua participação nas atividades, que por sua vez também exacerbam o humor deprimido.

No póscovid, o Fisioterapeuta avalia tolerância ao esforço e a forçaprescreve treino de forma a alcançar um condicionamento físico que seja confortável à pessoa e lhe permita participar no seu dia-a-dia de forma saudável. Avalia a função respiratória e a carga da sintomatologia no utente, delineando estratégias para otimizar ventilação, recrutar secreções de forma eficiente (se for o caso) e realiza vários ensinos sobre como gerir falta de ar e a fadiga. Monitorizamos o utente presencialmente durante as sessões, e gradualmente em follow-up por telefone ou email, para esclarecer o plano de atividade física e as estratégias instituídas, de modo a retomar a sua autonomia e ter a melhor qualidade de vida possível.

Sabemos que esta condição o limita nas suas atividades. E que possivelmente acredita que terá que viver assim para sempre. E se lhe dissermos que há solução? Que pode viver e voltar a ter mais qualidade de vida?