Buscar
  • fisioandreviegas

Conjugalidade em tempo de Covid 19

Há receitas que envolvem ingredientes explosivos que nos permitem adivinhar sérias dificuldades.



Reconhecer que não vai ser fácil e tomar consciência de que as condições a que estamos sujeitos poderão traduzir-se num aumento de tensão e consequentemente um aumento de situações de conflito, poderá ser um excelente ponto de partida para utilizar algumas estratégias que ajudarão a viver esta fase de isolamento com a tranquilidade desejada.

Vejamos: vírus novo à solta + isolamento obrigatório + medo + teletrabalho + telescola + tarefas domésticas, tudo bem envolvido há cerca de 30 dias = possível caos conjugal!

Toda a situação de novidade a que esta pandemia nos expôs, sobrecarregada pela convivência obrigatória de 24h com o/a companheiro/a e os filhos sem os balões de oxigénio a que estamos habituados diariamente (as conversas com os/as colegas de trabalho, as tarefas/ desafios profissionais, as novidades trazidas das escolas, etc,) obriga-nos a alguns esforços extra para que possamos ultrapassar esta fase gerindo não só as nossas emoções como também o impacto que as nossas emoções têm em quem nos rodeia e com quem convivemos diariamente.

O que poderá experimentar:

  • Dividir tarefas. Faça uma lista das tarefas diárias mais importantes e faça uma divisão das mesmas pelos elementos que constituem a sua família. Faça-o de forma realista e com a concordância de todos. Estar com filhos em casa e cumprir as 7/8h seguidas em teletrabalho não é possível e por isso elaborar em plano concretizável em conjunto é obrigatório!

  • Comunicar de forma clara. É necessário que cada um dos elementos sinta segurança para poder ser genuíno no que expressa e que juntos se sintam efetivamente uma equipa.

  • Aproveitar as redes sociais e as novas tecnologias para se manter em contacto com pessoas exteriores à relação. Planeie momentos que permitam que cada elemento da família possa estar em contacto com outras pessoas e sinta que esses momentos são respeitados e valorizados.

  • Ter tempo individual e promover essa mesma possibilidade no/a seu/sua companheiro/a. Não é difícil se este momento individual alternar com momentos a sós com os filhos (e nesse momento passa o outro adulto a ter o seu momento a sós).

  • Fazer exercício físico. Há vários exercícios simples e não é necessário fazer um treino de ginásio. Existem imensos vídeos e tutoriais na internet, para todos os gostos e disposições!

  • Planear atividades especificas enquanto casal. Se recorrer à criatividade e à comunicação clara, não vai ser difícil escolher algo simples que vá ao encontro do que ambos necessitam e desejam e que ajude a aumentar a proximidade e cumplicidade que consequentemente terão uma enorme influência na harmonia familiar.


Vera Carnapete, Psicóloga

26 visualizações