Buscar
  • fisioandreviegas

Incontinência urinária e Fisioterapia

As disfunções do pavimento pélvico na mulher envolvem diversas condições clínicas que podem dividir-se em cinco grupos: sintomas do trato urinário inferior, sintomas intestinais, função sexual, prolapso e dor.

A Incontinência Urinária é um problema comum entre os adultos sendo mais frequente nas mulheres durante o período de gravidez e pós parto podendo ser esta a primeira vez que as mulheres experienciam esta condição.

Os músculos do pavimento pélvico (MPP) são um dos muitos factores que contribuem para o mecanismo de encerramento uretral e portanto, da continência e é o tecido alvo do fisioterapeuta que trabalha na incontinência urinária e outras disfunções do pavimento pélvico.


Incontinência Urinária é definida como perda involuntária de urina; incontinência urinária de esforço (IUE) como perda involuntária de urina em esforço, espirro ou tosse; incontinência urinária de urgência (IUU) como perda involuntária de urina associada ou imediatamente precedida de urgência miccional e incontinência urinária mista (IUM), como perda involuntária de urina associada a urgência e também a esforço, espirro ou tosse.


Nas mulheres primíparas os exercícios do pavimento pélvico durante o período pré-parto aparentam reduzir a prevalência de incontinência urinária posteriormente na gravidez. No período pós-parto, estes exercícios parecem ser um tratamento efetivo nas mulheres com incontinência fecal e urinária persistente. No tratamento da IU e do prolapso, o papel habitual da Fisioterapia tem sido a recuperação do pavimento pélvico de modo a fortalecer os músculos que o constituem. Músculos treinados podem estar menos sujeitos a lesão; e aqueles que foram anteriormente treinados podem ter mais facilidade em recuperar após lesão, quando os padrões motores corretos estão integrados, ou seja quando já se conhece o movimento.


O fisioterapeuta ensina a mulher a contrair os músculos do pavimento pélvico dando instruções de como fazê-lo verbalmente ou por escrito e se possível durante um exame pélvico uma vez que só cerca de 1/3 das mulheres contrai corretamente esta musculatura.


No homem a principal causa de IU é a cirurgia prostática e as técnicas aplicadas são semelhante às utilizadas no tratamento das mulheres.


Se pensa sofrer de algum destes problemas deve procurar um fisioterapeuta especialista na área, ele saberá orientá-lo e irá cuidar de si.


Mariana Fonseca, Fisioterapeuta

0 visualização