Buscar
  • fisioandreviegas

Ninguém Nasce a Falar

A comunicação é uma ferramenta essencial do ser humano, pois com ela armazenamos, transmitimos e recebemos informação. A comunicação é a ferramenta primordial de evolução da nossa espécie, já tinha pensado nisso?

Mas nenhum de nós nasce a falar! No entanto, num curto espaço de tempo, dominamos a a arte da comunicação, sem que tenhamos tido aulas para isso, pois aprender a comunicar é algo que se processa naturalmente.

Esta aprendizagem é feita por etapas, que têm por base a idade da criança, embora não nos possamos esquecer que cada uma delas é portadora de uma natureza única e por isso mesmo não acontece a todas no mesmo dia e à mesma hora.


Cada etapa do desenvolvimento da linguagem da criança, tem indicadores pelos quais nos podemos guiar:

  • Dos 0 aos 3 meses - Chora, faz alguns sons, ri, parece estar atento aos sons que ouve;

  • Dos 4 aos 6 meses - Vira a cabeça para o lado do som, grita e emite sons parecendo querer conversar;

  • Dos 7 aos 11 meses - reage ao seu nome e usa sons para chamar a atenção;

  • Aos 12 meses - Começa a dizer as primeiras palavras;

  • Aos 18 meses - Compreende perguntas simples, imita sons de animais e já junta duas palavras numa frase;

  • Aos 24 meses - Já consegue produzir pequenas frases;

  • Aos 3 anos - É possível entender quase tudo o que a criança diz, mas ainda com muitos erros;

  • Aos 4 anos - Inventa pequenas histórias;

  • Aos 5 anos - é capaz de ter uma conversa corretamente;

  • Aos 6 anos - Está pronto para aprender a ler e a escrever!


Mas como nada é assim tão linear, há várias problemáticas que podem provocar atrasos em todo o processo como: problemas respiratórios e de audição, problemas motores (freio da língua curto, lábio leporino,…), problemas psicológicos, problemas neurológicos entre outros ou simplesmente a escassez de estimulação.


Na estimulação da linguagem são os pais e os familiares próximos que têm um papel fundamental e com estratégias adequadas a cada idade, é fácil:

  • Cante para o seu bebé;

  • Tente sempre olhar o seu filho nos olhos quando fala com ele;

  • Se ele já brinca com sons, brinque também, ainda que possa parecer pateta;

  • Imite sons de animais, use imagens e brinquedos para reforçar os sons;

  • Conte histórias, fazendo personagens e sons;

  • Espere pelo tempo de resposta do seu filho;

  • Fale-lhe com clareza, pausadamente e com palavras simples;

  • Não infantilize o seu discurso com palavras como por exemplo: “pópó”, prefira usar a palavra correta e produzir sons associados a esta;

  • Se o seu filho pronunciar mal, não o obrigue a corrigir, mas dê-lhe sempre o modelo correto;

  • E sobretudo brinque e divirta-se com ele!


Boas aventuras linguísticas!


Atenção! Todas as orientações aqui descritas, etapas de desenvolvimento e estratégias não substituem a avaliação especializada!

Liliana Costa, Terapeuta da Fala

71 visualizações