Buscar
  • fisioandreviegas

Osteoporose... a doença silenciosa

Designada como uma doença silenciosa, que torna os ossos frágeis e, porosos, abrindo um caminho à ocorrência de fraturas. Na prática, a osteoporose afeta a densidade e qualidade dos ossos, o que significa que não é necessário um grande traumatismo para o fraturar. Uma simples queda ou um movimento mais brusco chega para causar as designadas fraturas de fragilidade. Estas ocorrem com maior frequência nas vértebras, ombros, punhos e colo do fémur (anca). Estas lesões podem resultar numa diminuição da qualidade de vida e perda da independência.

A osteoporose atinge cerca de 800 mil pessoas da população portuguesa, o que faz com que esta seja um grave problema para a saúde pública, além de ter um impacto relativamente grande ao nível de custos para o Serviço Nacional de Saúde.

Esta, raramente apresenta sintomas, o que significa que a prevenção é a melhor arma para combater a doença e tudo começa por adotar uma alimentação saudável, rica em cálcio e vitamina D, e a prática regular de exercício físico são medidas que promovem a saúde dos ossos, devendo ser introduzidas o quanto antes.


O papel do nutricionista torna-se assim, fundamental para minimizar o impacto desta patologia que pode ser altamente incapacitante.

De acordo com as estatísticas, as mulheres, sobretudo após a menopausa, são mais afetadas pela doença, mas os homens também sofrem com ela. Após os 50 anos, uma em cada três mulheres e um em cada cinco homens irão sofrer pelo menos uma fratura no resto das suas vidas. O problema, é que quando já se fez uma fratura osteoporótica, a predisposição para outra é muito maior e assim sucessivamente.


O acompanhamento nutricional é essencial...

Devido ao osso estar em constante remodelação, a melhor forma de evitar ou de, pelo menos, minimizar os efeitos da osteoporose é adquirindo uma alimentação saudável com a ingestão adequada de cálcio e vitamina D. A prevenção deve iniciar logo na gravidez, promovendo hábitos de vida e alimentares saudáveis. Dada a importância da alimentação para o aumento e manutenção da massa óssea, o acompanhamento nutricional das pessoas com osteoporose torna-se assim, fundamental para contrariar a perda de massa óssea que ocorre com o aumento da idade.


Recomendações nutricionais...

Dada a importância da alimentação para o desenvolvimento e manutenção da saúde óssea, torna-se fundamental garantir uma nutrição com um aporte adequado de cálcio e proteínas, mas também de micronutrientes com um papel específico e relevante na saúde dos ossos, como a vitamina D, vitamina K, carotenoides - precursores da vitamina A, magnésio e zinco.


Fontes de Cálcio:

  •  Leite e derivados;

  •  Peixes azuis: sardinha, atum, cavala ou anchovas;

  •  Legumes de folha escura;

  •  Frutos secos;

Caso não tolere ou não goste os alimentos acima mencionados, temos alternativas, não tão ricas, que passam por consumir tofu, amêndoas, avelãs, figos secos e conservas de sardinhas.

É preciso relembrar que alguns alimentos ricos em cálcio contêm elementos na sua composição natural que reduzem a absorção deste mineral, como os oxalatos dos vegetais e os fitatos dos cereais.


Vitamina D:

Fundamental para a absorção intestinal do cálcio, esta é produzida na pele pela ação da exposição solar mas, também pode ser obtida através da alimentação, como a gema de ovo, o óleo de fígado de bacalhau e os peixes gordos (salmão, cavala e sardinha).


Evitar:

  •  Consumo de sal;

  •  Bebidas com gás;

  •  Álcool;

  •  Sedentarismo;

  •  Tabaco;

  •  Magreza, excesso de peso ou obesidade;

  •  Café.


Exercem um efeito negativo sobre o osso, aumentando a perda de cálcio pelo corpo, levando consequentemente, ao risco de fraturas osteoporóticas.


Relembrar que no caso de existir défice em cálcio ou vitamina D, esta deve ser colmatada através da suplementação e sob vigilância médica. Com o envelhecimento há uma menor produção e absorção de ambos, pelo que os suplementos específicos são necessários, porque os provenientes da nutrição são manifestamente insuficientes.


“Ame os seus ossos, Proteja o seu futuro”


Adriana Oliveira, Nutricionista

37 visualizações