Buscar
  • fisioandreviegas

Principais dificuldades e disfunções sexuais

Qualquer pessoa pode apresentar alterações ou perturbações no seu ciclo de resposta sexual surgindo as dificuldades ou disfunções sexuais que impedem a vivência de uma vida sexual satisfatória e gratificante. 

As causas que podem estar na origem ou contribuir para estas dificuldades, podem ser orgânicas, psicológicas ou mistas. Problemas de saúde físicos e psicológicos, uso de medicamentos, tabagismo, problemas afetivos ou de natureza relacional, falta de experiência sexual e de conhecimento do corpo, traumas sexuais, assim como fatores socioeconómicos e profissionais, podem refletir-se de forma negativa na resposta sexual. 


As disfunções sexuais podem ser primárias, se coincidem com o início da atividade sexual e secundárias se numa primeira fase não há queixas e estas só surgem posteriormente.

Uma consulta com um terapeuta sexual é uma forma eficaz de desbloquear medos e ansiedades, permitindo a construção de atitudes positivas em relação ao sexo. Quanto mais cedo se assumir que existe um problema e se procurar aconselhamento profissional, maior a probabilidade de resolver o problema e ter a qualidade de vida desejada.


Disfunções sexuais masculinas


1. Perturbação de desejo sexual hipoactivo - ausência ou deficiência persistente de fantasias e desejo de atividade sexual.


2. Disfunção eréctil - a disfunção eréctil ou impotência sexual é a incapacidade persistente ou recorrente para atingir ou manter uma ereção adequada até completar a atividade sexual, provocando acentuado mal-estar ou dificuldade interpessoal.

Os indivíduos mais jovens têm mais probabilidade de desenvolver disfunção eréctil de causa psicológica. Os homens com mais idade desenvolvem habitualmente disfunção eréctil de causa orgânica, devido a uma maior comorbilidade com diversos fatores de risco.


3. Ejaculação prematura, precoce ou rápida - dificuldade em controlar a ejaculação, que em alguns casos pode ocorrer antes, no momento da penetração ou logo após a penetração, limitando a satisfação sexual. É uma das disfunções sexuais mais comuns, sobretudo entre os mais jovens, no entanto, muitas vezes a vergonha face a esta dificuldade, não permite que muitos homens procurem tratamento.


4. Anejaculação - Ausência completa de ejaculado estando conservada a sensação de orgasmo. Deve-se à inexistência de fase de emissão, havendo fase de expulsão.


5. Ejaculação retrógrada - Ausência total ou parcial de emissão de ejaculado, devido ao insuficiente encerramento do esfíncter uretral interno. O esperma passa da uretra posterior para o interior da bexiga permanecendo a sensação de orgasmo.


6. Ejaculação retardada - Também chamada de incompetência ejaculatória (Masters & Johnson, 1970), deve-se ao atraso ou inibição específica dos mecanismos de ejaculação. É involuntariamente uma ejaculação muito tardia. Relativamente pouco frequente e a prevalência não ultrapassa os 5%.


7. Inibição do orgasmo masculino - dificuldade persistente ou incapacidade de atingir o orgasmo apesar da presença de desejo, de excitação e estimulação. O homem não é capaz de ejacular com a sua parceira / seu parceiro, sendo capaz de ejacular na masturbação ou durante o sono. Diferente da anejaculação porque nesta o homem consegue atingir o orgasmo.


8. Dispareunia - dor genital antes, durante ou após a relação sexual. Muito raro, ocorrendo apenas em cerca de 1% nas amostras clínicas


Disfunções sexuais femininas


1. Desejo sexual hipoativo - consiste na diminuição ou ausência total de desejo sexual. A mulher não manifesta interesse por atividades sexuais ou eróticas preliminares e não sente desejo de iniciar a atividade sexual, podendo ocorrer o evitamento do contacto físico íntimo. 


2. Aversão sexual - consiste na aversão do contacto sexual com consequente evitamento de todo ou quase todo o contacto sexual genital. Atitudes negativas face ao sexo, educação sexual repressiva, historial de violência/abuso, dispareunia, são alguns dos fatores que podem contribuir para esta dificuldade.


3. Perturbação da excitação sexual - consiste na dificuldade em adquirir ou manter um estado de excitação sexual adequada até a consumação da atividade sexual, frequentemente expressa pela ausência ou diminuição da lubrificação vaginal.


4. Perturbação do orgasmo - a perturbação do orgasmo consiste na dificuldade ou incapacidade persistente ou recorrente de atingir o orgasmo, após uma fase normal de excitação sexual. 


5. Dispareunia - dor persistente na zona genital ou pélvica durante as relações sexuais. Embora a dor seja experimentada com maior frequência durante o coito, também pode ocorrer antes ou após a relação sexual.


6. Vaginismo - dificuldade da mulher em tolerar a penetração, devido à contração involuntária, recorrente ou persistente, dos músculos do períneo adjacentes ao terço inferior da vagina. 


Referências Bibliográficas:

  • Fonseca, L., Soares, C. & Vaz, J. As disfunções sexuais femininas. in Sexologia. Perspectiva Multidisciplinar. Vol I.Ed. Quarteto. 2001

  • Kaplan H., 1989, How to Overcome Premature Ejaculation, Routledge, New York

  • Nobre, P – As disfunções sexuais. 


Vera Carnapete, Psicóloga, Terapeuta Sexual

0 visualização