Quando devo procurar um Terapeuta da Fala?

Nunca é cedo demais ou tarde demais para procurar um terapeuta da fala!
Aprender a falar acontece numa velocidade estonteante e por isso, ficar para trás no caminho é mais fácil do que aquilo que desejaríamos.
Numa idade média de 2 a 3 anos, um bebé passa de vocalizações e choros a uma criança que produz frases completas, com base no seu conhecimento de estrutura lexical de muitas, muitas palavras.
 
 
Então qual a idade em que nos devemos preocupar com a fala dos nossos filhos e quando devo procurar um terapeuta da fala?
 
Muitas vezes ouvimos a expressão “ainda é cedo”, quando se refere a consultar um terapeuta da fala, vinda de médicos de família, pediatras, educadores, avós, etc., mas podemos assegurar que nunca é demasiado cedo. Pois embora seja verdade que muitas crianças recuperam espontaneamente, muitas não o fazem e não há nenhuma forma de saber quais recuperam e quais nunca chegam a recuperar, tendo muitas vezes essas alterações consequências permanentes, não só na fala, como na leitura e escrita.
 
Então, mas como é que o terapeuta da fala pode saber o que os médicos e os outros profissionais não sabem?
 
O terapeuta da fala possui ferramentas e competências que outros profissionais não possuem quanto à avaliação da criança em termos de fala e linguagem.
Numa consulta de terapia da fala, o terapeuta pretende conhecer o seu filho e o que a rodeia, o seu desenvolvimento, o seu historial e com testes específicos, com o seu conhecimento e experiência profissional, avalia a criança no seu todo. Com base nesta avaliação, é que podemos perceber se é de facto cedo para iniciar terapia, se o seu filho precisa de ser observada por outro profissional com outras competências ou se efetivamente precisa de iniciar terapia da fala.
 
E afinal como é que conseguimos perceber se está na hora de levar a uma consulta?
 
A comparação com os pares, quando não levada ao extremo, pode ser útil para perceber se o meu filho está ou não com um desenvolvimento correto. Devemos também procurar linhas orientadoras daquilo que é o mais normativo para a idade em que a criança se encontra, por exemplo:
·       se aos 18 meses o meu bebé não diz nada, isso deve ser motivo de preocupação;
·       se o meu bebé nasceu com alguma alteração limitadora;
·       se iniciou Jardim de infância e não parece conseguir acompanhar os colegas;
·       se vai iniciar o 1º ciclo e há questões da fala que não parecem estar resolvidas;
·       se frequenta o 1º ciclo e tem dificuldades de leitura e escrita;
·       …
Ou simplesmente, se não tenho a certeza que o meu filho tenha “pedalada” para esta corrida, consulto um terapeuta da fala! Nunca as preocupações são irrelevantes nem o timing desadequado.
 

Liliana Costa, Terapeuta da Fala